sábado, 25 de junho de 2011

sexta-feira, 24 de junho de 2011

quarta-feira, 22 de junho de 2011

MISSÃO, VISÃO, VALORES.

QUEM SOMOS. COMO ATUAMOS.



UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA:Só Pra Falar do Meu Avô ( Paulo Prudente Ribeiro , agricultor ).Numa noite clara no começo dos anos 70 eu desembarquei na rodoviária Julio Prestes, chegava em São Paulo, trazido por meu avô.A noite era quente e estrelada,entramos num velho táxi DKV e seguimos para o Capão Redondo,Rua Humberto Pascale,onde eu vim morar. Meu avô era um homem do sertão, amava o trabalho, amava gente e plantas, meu avô era apaixonado pela vida, mas a vida não foi tão justa com ele. Meu avô levou uma queda e teve um ferimento na perna,durante anos sofreu com a ferida e nunca esmoreceu,prosseguiu trabalhando, até que um dia teve que amputar a perna. Foi um tempo difícil pra mim, ele passou meses internando e fiquei todo esse tempo sem vê-lo. Em um tarde de domingo uma ambulância parou na porta de casa,quando a porta do carro se abriu ele estava lá dentro,sorrindo, com o rosto iluminado... Estava sendo transferido para um centro de recuperação em Itapecerica da Serra, agora eu ia poder vê-lo todos os dias... Meu avô era um ser diferente, desses raros, que nascem a cada mil anos e nos faz entender o sentido exato da vida. Me ensinou a amar o trabalho e a respeitar o suor que cai do rosto e quem luta. Por amar gente e plantas, não podia ver um terreno vazio que logo ia pedir para o proprietário deixar que ele limpasse e cultivasse alguma plantação. E era isso que ele fazia, juntava a molecada, e íamos todos cuidar do pequeno pedaço de terra. Ali ele plantava milho, mandioca, batata-doce, hortaliças e depois que tudo crescia ele saía distribuindo para as pessoas da vila. Confesso que também gostava de fazer aquilo... Ele gostava de contar histórias, de reunir pessoas ao seu redor, gostava de distribuir carinho e atenção. Ele dizia que tinha um sonho, de um dia poder ver brotar homens da terra, tinha o sonho de plantar uma semente mágica e ao invés de uma árvore surgir gente... Meu avô morreu em julho de 1985, a última horta que plantou foi na Rua John Adams número 50, ele não viu brotar... Sinto muito a falta dele, penso nele todos os dias, às vezes quando as coisas não caminham bem,me pergunto o que ele me diria para fazer.Por tudo que em ensinou,por todo o amor que me deu,ele sempre será minha bússola e meu porto seguro. Meu avô sonhava em ver homens brotando da terra. Exatamente onde plantou sua última horta é a sede de nosso projeto. Pena ele não estar aqui pra ver... Onde lançou sua última semente, vamos colher cidadãos... Marcos Ribeiro Teles - fundador e presidente de honra do Instituto Social Coopermusp.